Prefeitura alerta população sobre aumento nos focos do Aedes aegypti

Prefeitura alerta população sobre aumento nos focos do Aedes aegypti

 

O clima é de apreensão e preocupação em Campo Bom por conta do grande número de criadouros do mosquito Aedis Aegypti, transmissor de doenças como dengue, chikungunya e zika.

 

De acordo com a titular da Secretaria Municipal de Saúde, Suzana Ambros Pereira, a Prefeitura mantém um trabalho sistemático de combate à dengue. “Mesmo assim, é preocupante a disseminação do mosquito, que hoje é encontrado em larga escala em todas as regiões da cidade. Com a chegada dos dias quentes essa proliferação aumenta mais ainda. Por isso, pedimos que a comunidade também se engaje neste combate do mosquito. Este ano a cidade não teve nenhum caso de dengue ou chikungunya, mas estamos investigando um caso suspeito de zika e devemos ter o resultado nos próximos dias”, alerta a secretária.

 

Segundo o coordenador da Vigilância Ambiental, Ranieri Martini, foram detectados 160 focos do mosquito na cidade, em todas as regiões. “Temos um índice de infestação crescente no município. Temos sete Agentes de Combate a Endemias que estão fazendo visitas domiciliares todos os dias em busca de novos focos e ajudando na conscientização da comunidade. Para esse serviço de coleta e de informação da comunidade temos ainda o suporte dos cerca de 70 Agentes Comunitários de Saúde que estão habilitados e treinados para esse serviço”, defini. Martini lembra que a Prefeitura também monitora quinzenalmente 96 Pontos Estratégicos entre ferro velhos, borracharias, floriculturas, entre outras áreas consideradas vulneráveis para a evolução do mosquito.

 

“Pedimos que a comunidade tenha cuidado com os locais que acumulam água e servem de criadouro para o mosquito. Um deles são as plantas que acumulam água como bromélias e espadas de São Jorge, onde deve ser posto aguá apenas na terra. No cemitérios também orientamos que cuidem quanto aos vasos de plantas. Além disso, a população deve ter um cuidado especial para o armazenamento da água da chuva e os recipientes devem ser lavados com esponja, água e sabão, sendo que os locais de armazenamento devem ser vedados corretamente”, reforça.

 

Saiba mais

Ao encontrar um foco do mosquito transmissor da dengue o cidadão pode contatar o Setor de Endemias, através do telefone 3598 8600, ramal 8763.

 

Na estação mais quente do ano, o aumento das chuvas e a elevação das temperaturas criam condições favoráveis à proliferação do Aedes aegypti, e consequentemente à disseminação da doença.

 

A principal e mais eficiente medida para o controle da transmissão da dengue continua sendo combate do mosquito Aedes aegypti, através da eliminação de seus criadouros. Veja no quadro dicas de como a população pode contribuir para ajudar a combater a dengue no município.

 

DICAS PARA AJUDAR A COMBATER A DENGUE

 

– Coloque o lixo em sacos plásticos e mantenha a lixeira bem fechada. Não jogue lixo em terrenos baldios

 

– Não deixe a água da chuva acumulada sobre a laje ou marquise

 

– Remova folhas, galhos e tudo que possa impedir a água correr pelas calhas

 

– Mantenha bem tampados tonéis e barris d’água

 

– Mantenha a caixa d’água sempre fechada com tampa adequada

 

– Lave semanalmente por dentro com escovas e sabão os tanques e os baldes utilizados para armazenar água

 

– Elimine os pratos de plantas, se optarem por mantê-los preencha todo o prato com areia

 

– As garrafas plásticas devem ser descartadas no lixo reciclável tampadas

 

– Vasilhas de água de animais devem ser lavadas com esponja e sabão

 

– Garrafas, latas, tambores, baldes, se não for possível mantê-los em locais cobertos, coloque-as de boca para baixo e devem estar limpas e secas

 

– As águas das piscinas devem ser tratadas; quando abandonadas, colocar cloro nas poças formadas pela chuva

 

– Tanques de roupas, mantê-los secos quando não estiverem sendo usados

 

– Os ralos dos banheiros devem estar sempre secos.

 

– As canaletas de box devem ser lavadas com sabão e secas depois do banho

 

– Os vasos sanitários com pouco uso devem ser limpos com água sanitária

 

– Vistoriar aquários e reservatórios de água de umidificadores e de geladeiras

 

– Limpar e vedar os reservatórios

 

– Retirar os recipientes que possam acumular água, como pneus e pratos e vasos de plantas, mantendo-os protegidos das chuvas

 

 




Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *